Sinpro Noroeste: em Assembleia, professores aprovam pontos da Convenção Coletiva

Compartilhe: Facebook Twitter Google+



O Sinpro-Noroeste realizou, no último sábado (13), Assembleia Geral Extraordinária para análise e votação das cláusulas negociadas junto ao sindicato patronal, e que deverão compor a Convenção Coletiva de Trabalho dos professores do Ensino Privado de Ijuí.

Por unanimidade, os professores presentes na Assembleia aprovaram os itens negociados durante a Campanha Salarial, autorizando o sindicato a encaminhar a assinatura da CCT junto ao Sinepe/RS, que representa as instituições de ensino.

Além da manutenção de todas as cláusulas que já compõem a atual Convenção, os professores da Educação Básica serão contemplados com 5,5% de reajuste salarial retroativo a março. Outra mudança será o acréscimo de mais um aluno por turma em todas as turmas da Educação Infantil, e no 1º ano do Ensino Fundamental.

Na Educação Superior, os professores aprovaram a proposta de reajuste de 5% a contar a partir de março, além da retirada do parágrafo 1° do artigo 27 da Convenção Coletiva, que trata do pagamento do aviso prévio do professor que pede demissão em janeiro.

“Construímos um resultado satisfatório, tendo em vista a conjuntura que vivemos. Não é aquilo que desejávamos em termos de negociação de convenção, mas foi o possível de ser costurado após seis rodadas de negociação com o sindicato patronal”, afirmou o coordenador-geral do Sinpro, Valdir Kinn. Ele explicou, ainda, que neste ano as instituições de ensino foram extremamente intransigentes quanto à possibilidade de um reajuste maior aos professores do ensino privado, o que limitou o diálogo entre trabalhadores e patrões.

O principal argumento utilizado pelo Sinpro nas negociações foi o fato de que o reajuste médio das mensalidades em escolas e universidades ficou muito acima da inflação. O aumento repassado aos alunos ficou na média de 11%, enquanto a inflação do período foi de 4,69%. Apesar da argumentação dos professores, o Sinepe/RS utilizou a crise econômica como razão para justificar a discrepância entre os valores.

Nesta segunda-feira, o Sinpro já encaminha a formalização da nova CCT, e todos os professores do ensino privado já terão direito ao salário de maio reajustado, incluindo os valores retroativos a março e abril.

Fonte: Sinpro Noroeste

INFORMAÇÕES PARA CONTATO

Rua Vicente da Fontoura, 1262/203
Rio Branco - Porto Alegre/RS.

Telefone: (51) 3235-2265

E-mail: feteesul@feteesul.org.br